Entenda o que é um controlador lógico programável (CLP) + curiosidades

Entenda o que é um controlador lógico programável (CLP) + curiosidades

Você já se perguntou o que é um controlador lógico programável e qual a sua relevância para a automação industrial? 

Afinal, para alcançar a excelência nesse setor, não é difícil compreender a profunda necessidade por instrumentos que otimizem o controle e o monitoramento dos processos de fabricação. 

Mas como isso funciona na prática? 

Acompanhe a leitura para entender o que é um controlador lógico programável, saber como funciona e conhecer suas características. 


O que é um controlador lógico programável?

Também conhecido pela sigla CLP, o controlador lógico programável é um dispositivo eletrônico com hardware e software projetado para controlar máquinas e processos. 

Por isso, sua aplicação mais comum é na automação industrial.  

Por meio de sensores e dispositivos de entrada, o CLP recebe informações e processa esses dados seguindo um programa criado pelo usuário. 

Também emite comandos para atuadores ou dispositivos de saída. 

Adaptável e confiável, pode ser reprogramado para diferentes tarefas, e por isso assumiu o status de ferramenta fundamental para a eficiência e flexibilidade das linhas de produção modernas. 

Como funciona um CLP?

O CLP funciona em um ciclo contínuo chamado de varredura. Em linhas gerais, a varredura consiste nas seguintes etapas:

  1. Leitura das entradas: o CLP lê os sinais das entradas, que podem ser sensores, interruptores, botões, etc;
  1. Processamento dos dados: o CLP processa os dados recebidos das entradas, de acordo com o programa lógico armazenado na sua memória;
  1. Geração das saídas: o CLP gera os sinais de saída, que controlam o funcionamento dos atuadores.

O programa lógico é escrito por um programador, que utiliza uma linguagem de programação específica para CLPs. 

Essas linguagens podem ser classificadas de duas categorias: gráfica e textual

A partir daí, conforme a norma IEC 61131-3, da Comissão Eletrotécnica Internacional, existem cinco diferentes linguagens de programação: 

  • Diagrama Ladder (gráfica);
  • Lista de instruções (textual);
  • Texto estruturado (textual);
  • Diagrama de blocos funcionais (gráfica);
  • Sequenciamento de gráficos de funções (gráfica). 

💡Leia também: Sistemas embarcados: Saiba o que são, exemplos, tipos e vantagens!

Como o controlador lógico programável surgiu?

O CLP surgiu como resposta à necessidade da indústria automobilística de flexibilizar a produção de veículos. 

Até a década de 1960, os sistemas de controle industriais eram baseados em relés, dispositivos mecânicos que se ligavam e desligavam de acordo com um programa definido. 

Os sistemas de relés eram robustos e confiáveis, mas apresentavam algumas limitações:

  1. Eram difíceis de programar e modificar;
  1. Não eram muito flexíveis, pois eram projetados para uma determinada aplicação específica;
  1. Eram caros para instalar e manter.

A General Motors (GM) foi uma das primeiras empresas a perceber essas limitações, e começar a busca por novas possibilidades. 

Esta busca culminou na invenção do MODICON 084, pela Bedford Associate em 1968, o primeiro CLP. 

Foi isso que permitiu a mudança rápida de processos produtivos, revolucionando a fabricação industrial com sua capacidade de reprogramação e versatilidade. 

Como é a estrutura de um controlador lógico programável?

Entenda o que é um controlador lógico programável (CLP) + curiosidades

A estrutura de um CLP é relativamente simples, sendo composta por quatro componentes principais:

  • Fonte de alimentação; 
  • Memória (RAM e ROM ou flash);
  • Módulos de Entrada/Saída (I/O).

Os componentes são organizados para funcionar em conjunto e executar tarefas de controle de processos automáticos. 

Estas são as bases estruturais, embora diferentes modelos de CLP possam ter configurações específicas para atender a necessidades industriais específicas.

Onde o controlador lógico programável é utilizado?

Os CLPs podem ser aplicados em todo e qualquer contexto industrial em que seja necessário automatizar processos ou máquinas, especialmente em ambientes complexos e que dependem de alta precisão e confiabilidade para operar. 

Por isso, eles podem ser encontrados desde o controle de um pequeno elevador até em uma plataforma de produção de petróleo.

Confira a seguir algumas outras aplicações específicas do CLP: 

  • Controle de máquinas: controle do movimento de máquinas, como robôs, impressoras e máquinas de embalagem;
  • Controle de processos: controle de processos industriais, como a produção de alimentos, a fabricação de produtos químicos e geração de energia;
  • Automação de edifícios: controle de sistemas de iluminação, aquecimento, ventilação e ar condicionado (HVAC) em edifícios;
  • Automação de transportes: o CLP também é utilizado para controlar sistemas de transporte, como trens, metrôs e elevadores.

Quais as vantagens do CLP?

Agora que já sabemos o que é um controlador lógico programável, vamos compreender quais são as vantagens práticas e específicas de investir na solução em processos de produção: 

  • Redução de custos de manutenção: são mais resistentes que os painéis de relés e não exigem atualizações frequentes;
  • Facilidade de programação e configuração: são modulares, o que significa que seus módulos individuais podem ser trocados ou adicionados, conforme necessário;
  • Segurança: podem ser usados para controlar tarefas perigosas, o que pode ajudar a proteger os trabalhadores;
  • Precisão: monitoram os processos em tempo real, o que ajuda a garantir a precisão e a confiabilidade.

Qual a diferença entre PLC e CLP?

PLC e CLP são duas siglas para a mesma coisa: Controlador Lógico Programável. Portanto, não há diferença entre os dois termos.

No entanto, alguns especialistas podem usar os termos PLC e CLP de forma diferente. 

Por exemplo, alguns podem usar o termo PLC para se referir a um controlador lógico programável genérico, enquanto podem usar o termo CLP para se referir a um controlador lógico programável específico de uma determinada marca ou fabricante.

Mas, na língua portuguesa, o termo mais utilizado para se referir a um controlador lógico programável é PLC. 

Como escolher um controlador lógico programável?

Entenda o que é um controlador lógico programável (CLP) + curiosidades

Como você já viu, o CLP é um dos elementos mais importantes na automação industrial, certo? 

Por isso, é importante escolher um que cumpra todas as suas funções com o máximo de precisão e sucesso. 

Existem muitos fatores a serem considerados, mas o principal deles é compreender quais as necessidades específicas de cada aplicação.

Listamos abaixo esse e outros dois fatores a serem considerados ao escolher um CLP:

  • Quantidade de entradas e saídas (I/Os); 
  • Tipo de sinal, que podem ser discretos (ON/OFF ou 0/1) ou analógicos (voltagem ou corrente);
  • Tipo de saída (de relé ou transistor);

Encontre dicas e soluções para displays inteligentes com especialistas no assunto. Fale com a Victor Vision!

Conclusão

No artigo de hoje, vimos o que é um controlador lógico programável: um dispositivo fundamental para a automação industrial. 

Combinando hardware e software, o dispositivo eletrônico é capaz de controlar máquinas, processos e equipamentos de forma precisa e eficiente.

Depois de entender o que é um CLP e suas principais características, fica muito mais fácil escolher o modelo certo para a sua aplicação.

Se você gostou desse artigo, acompanhe o blog da Victor Vision para conferir outros conteúdos relacionados.

Também acompanhe o nosso canal do YouTube para conferir tutoriais e novidades exclusivas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *